Polícia prende homem com lista com nomes e rotina de PMs

29/11/2012 13h20

DE SÃO PAULO

A Polícia Civil prendeu ontem um homem no Jardim Macedônia, zona sul de São Paulo, com uma lista com nomes e detalhes sobre a rotina de policiais militares. Na casa dele os policiais também encontraram 16 kg de cocaína, uma metralhadora 9 milímetros e cinco bananas de dinamite.

O vidraceiro Fábio Silva de Souza, 24, foi preso por volta das 10h30 após uma denúncia anônima por policiais do 73º DP (Jaçanã), que investigavam o tráfico de drogas na zona norte. De acordo com polícia, Souza distribuía drogas para micro-traficantes da região.

A polícia também investiga se Souza tem ligações com a facção criminosa PCC. Ele foi autuado por tráfico de drogas e posse ilegal de arma.

A polícia não revelou os nomes dos PMs que estavam na lista e nem se algum deles está entre os 96 policiais assassinados neste ano.

ITAQUAQUECETUBA

Na terça-feira, a polícia apreendeu documentos que comprovariam que o PCC ordenou a morte de policiais militares.

Os papéis foram apreendidos na casa de Cícero Júlio Machado Lopes, o Juninho, 36, em Itaquaquecetuba (Grande SP). Ele é apontado como um dos chefes do tráfico na região de Mogi das Cruzes.

Entre os documentos apreendidos pelos policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) está uma carta, com data de 9 de julho, em que Lopes justifica o assassinato de um policial após uma discussão em um baile funk.

"Essa situação só ocorreu por o mesmo (PM) ter se apresentado (sic) como polícia", diz um dos trechos da carta.

Lopes estava foragido desde maio, quando não retornou para o presídio de Valparaíso da saída temporária do Dia das Mães.

"Ele cumpria pena por tráfico de drogas e recebeu direito de sair da cadeia no dia das Mães. Aproveitou o benefício para matar o policial e fugir", disse o delegado Sérgio Alves.

A polícia ainda investiga qual PM foi morto pelo traficante.

Os policiais também apreenderam na casa de Lopes a contabilidade do tráfico de drogas, lista com nomes de novos integrante do PCC e três "salves" -- comunicado enviado pela cúpula aos membros da facção.